Especialidades Neurophthalmology

A Neurophthalmology é uma clínica oftalmológica especializada, que além de cuidar da saúde ocular, tem como especialidade a neuro-oftalmologia. Conheça as principais especialidades da neurophthalmolgy:

Neuro-oftalmologia

Neuro-oftalmologia é uma subespecialidade da oftalmologia que aborda a relação entre o olho e o cérebro, especificamente distúrbios do nervo óptico, órbita e cérebro, associado a sintomas visuais, diagnosticando e tratando problemas da visão relacionados ao sistema nervoso.

O neuroftalmologista fornece cuidados clínicos abrangentes, e está capacitado para avaliar pacientes do ponto de vista neurológico, oftalmológico, diagnosticando e tratando uma série de condições médicas. Alguns problemas podem ter relação apenas com o nervo óptico ou com o sistema nervoso, ou podem estar relacionados com uma condição médica que atinge outros sistemas e órgãos do corpo.

A neurophthalmology oferece os equipamentos mais modernos e toda a estrutura para diagnóstico e tratamento deste tipo de problemas visuais. O Prof. Dr. Filipe Chicani, responsável pela neurophathalmology, tem experiência internacional e é referência na neuro-oftalmologia.

Uma variedade de desordens oculares são causadas ou associadas a doenças neurológicas como:

  • Neurite óptica
  • Neuropatia óptica
  • Edema de disco óptico
  • Miastenia gravis ocular
  • Movimentos anormais dos olhos
  • Tumores cerebrais
  • Acidente vascular cerebral
  • Hipertensão intracraniana idiopática ou pseudotumor cerebri
  • Perda inexplicável do campo visual
  • Perda transitória da visão
  • Dores de cabeça
  • Diplopia (Visão dupla)
  • Esclerose Multipla
  • Anormalidade pupilares
  • Anormalidade das pálpebras








Se você está enfrentando algum desses problemas, ou suspeita de algum distúrbio não perca tempo. Agende uma consulta com maior brevidade possível. Geralmente, quanto antes diagnosticado o problema, mais rápido o tratamento faz efeito.

Retina

A retina é a parte do olho responsável por formar a imagem, como se fosse uma tela para projetar as imagens enxergadas. A imagem captada é registrada, decodificada e enviada ao cérebro. A retina é uma membrana sensível à luz localizada na parte interna do olho, que converte a luz em em estímulo nervoso e o envia ao cérebro, onde são interpretados como imagens visuais.

O nervo óptico estende-se desde o cérebro até aproximadamente o centro da retina e depois ramifica-se.

A mácula (área central da retina), contém a maior densidade de nervos sensíveis à luz (células fotoreceptoras), e é responsável por distinguir detalhes no meio do campo visual.

A córnea e o cristalino são responsáveis pela convergência das ondas luminosas. A córnea se localiza na parte externa do olho, e o cristalino na parte interna, atrás da pupila, que em conjunto com a íris, regulam a quantidade de luz que passa pelo olho.



Alguns distúrbios e condições relacionadas com a retina:

  • Degeneração macular relacionada à idade (DMRI)
  • Descolamento da retina
  • Edema macular
  • Hemangioma coróide
  • Hemorragia vítrea
  • Histoplasmose
  • Membrana epiretinal
  • Melanoma coróide
  • Metástase coroidal
  • Nevo de coroide
  • Neovascularização coroidal
  • Oclusão da veia
  • Retinopatia diabética
  • Retinite pigmentosa
  • Tumores oculares

Algumas enfermidades podem ser prevenidas ou tratadas se diagnosticadas precocemente, por isso, não descuide de sua saúde ocular, mesmo que você não tenha nenhum problema de visão aparente, agende uma consulta pelo menos uma vez ao ano para exames de rotina, e, caso note qualquer alteração visual, procure imediatamente um oftalmologista.

Catarata

Catarata é o nome dado a opacificação do cristalino, lente natural do olho que fica atrás da pupila. Normalmente, a idade é o culpado mais comum, mas o uso de medicação, doenças (como diabetes), inflamações intraoculares, traumas e problemas congênitos também podem causar a perda da transparência do cristalino.

A evolução da catarata é variável. Geralmente, aparece depois dos 50 ano e progride lentamente durante vários anos. A visão vai diminuindo progressivamente, e a pessoa começa a enxergar apenas vultos e passa também a não enxergar direito as cores. É um processo lento, progressivo, e faz com que a pessoa se acostume com a perda da visão aos poucos, prejudicando muito o seu diagnóstico.

Outros tipos de cataratas, particularmente em indivíduos mais jovens e portadores de diabetes, podem avançar rapidamente.
Os sintomas mais comuns da catarata são:

  • Embaçamento da visão
  • Ofuscamento, ou sensibilidade à luz
  • Mudanças frequentes no grau de óculos
  • Dupla visão em um olho
  • Dificuldade na leitura
  • Visão noturna dificultada
  • Alterações na percepção de cores


A cirurgia da catarata deve ser considerada quando a perda de visão prejudica as atividades normais do paciente.
Não existe tratamento clínico para a doença, sendo a remoção cirúrgica da catarata e colocação de uma lente intraocular que corrige permanentemente a sua visão, a melhor opção.

Devido ao grande avanço tecnológico na oftalmologia, a cirurgia de catarata tem se tornado cada vez mais eficiente, produzindo menos riscos, um pós-operatório mais tranquilo na maioria dos casos, proporcionando uma recuperação mais rápida e maior conforto para o paciente.

Cirurgia Refrativa

A cirurgia refrativa é um método para corrigir ou melhorar sua visão. Ela permite corrigir o grau (astigmatismo, hipermetropia e miopia) através da aplicação de laser na córnea. É indicada para pessoas maiores de 20 anos, que desejam diminuir ou eliminar a necessidade de uso de óculos e lentes de contato, que não tenham doenças oculares e que não apresentem contraindicações nos exames a serem realizados antes da cirurgia.

Os erros de refração que podem ser corrigidos com a cirurgia são:

  • Miopia
  • Hipermetropia
  • Astigmatismo
  • Miopia com astigmatismo
  • Hipermetropia com astigmatismo
  • Presbiopia (“vista cansada”)
  • Eliminar óculos ou lentes de contato


A cirurgia pode ser feita pela aplicação de diferentes técnicas cirúrgicas. As mais utilizadas são o PRK ou Lasik com laser de femtosegundo e, para os casos em que seja impossível a correção a laser, existe o implante de lentes fácicas (colocadas sobre o cristalino).

A amplitude de correção depende dos parâmetros dos exames de cada paciente. Será feita uma avaliação criteriosa e detalhada pelo médico para avaliar a eficácia e segurança do procedimento em cada caso.